Já estou me formando e sinto que não sei nada. E agora?

“Calma! É assim mesmo. Comigo foi igual.”

Essa foi a resposta que eu dei nessa semana a um grupo de estudantes (na reta final do curso de Enfermagem) “desesperados” com a sensação de “vazio” em relação aos conhecimentos.

Não se sinta mal, você não está sozinho.

O medo e a insegurança são sensações naturais, mas que devem ser enfrentadas.

Normalmente quando os estudantes se formam enfermeiros ficam inseguros e têm medo de não saber o que fazer. Com o tempo, essa insegurança vai passando, à medida que eles vão ganhando experiência.

Para superar o medo e a insegurança vocês devem enfrentar as situações e o tempo trará a prática assistencial.

Sem o enfrentamento dessas situações vocês podem ficar paralisados, e com mais dificuldades em realizar ações significativas para atingir os seus objetivos e metas.

Seguem algumas dicas para tranquilizar esse coração:

  • Lembre-se que o conhecimento é construído continuamente – esteja sempre atualizado e não “durma” com dúvidas. Pergunte. Busque a resposta para aquilo que você não sabe, logo que possível.
  • Exponha-se aos poucos para poder aprender – quando estiver trabalhando e alguma situação peça uma intervenção sua, não fuja! Se nunca fez, fale. Diga que tem conhecimento teórico, mas não tem habilidade prática e gostaria de adquiri-la com ajuda. Isso não é demérito, pelo contrário.
  • Admita as suas falhas – esteja aberto a ajuda. Só assim você poderá melhorar e evitar complicações futuras.
  • Realize as atividades à medida que forem surgindo – não procrastine, não deixe para depois, você pode não ter tempo suficiente. Afinal, ninguém pode prever o que vai acontecer durante um plantão.
  • Procure ficar próximo de pessoas que tenham vontade de ajudar quem está começando. Existem pessoas assim, eu que o diga. Agradeço a ajuda das Enfermeiras Lídia e Neuza, e dos então Atendentes Joaquim e Adelita Maria, da Beneficência Portuguesa de São Paulo, no começo da minha carreira. Eles me ensinaram muito.
  • Não faça nada na incerteza – seja honesto. Se tiver dúvida, não faça. Procure a resposta antes de executar uma ação.
  • Utilize as ferramentas disponíveis para realizar as suas atividades – na aplicação da Sistematização da Assistência de Enfermagem, por exemplo, consulte o guia de diagnósticos de Enfermagem – NANDA, se achar necessário. Ele foi feito para isso.
  • Preste atenção no momento presente – não fique sofrendo por antecipação. Enquanto você imagina o fracasso e as situações de ameaças, está perdendo o que realmente está acontecendo ao seu redor, portanto deixando de aprender.
  • Aproveite as oportunidades para investir em cursos e treinamentos – conhecimento nunca é demais e ninguém pode tirá-lo de você. Torne o aprendizado um hábito!
Dra. Elizabeth Galvão

Doutora em Ciências (EEUSP), pós-graduada em Administração Hospitalar (UNAERP) e Saúde do Adulto Institucionalizado (EEUSP), especialista em Terapia Intensiva (SOBETI) e em Gerenciamento em Enfermagem (SOBRAGEN). É professora titular da Universidade Paulista no Curso de Enfermagem, e professora do Programa de Especialização Lato-sensu em Enfermagem em Terapia Intensiva e Enfermagem do Trabalho na Universidade Paulista.

Se você é profissional ou estudante da área da saúde, faça parte da nossa lista de leitores!

Cadastre seu nome e email para receber gratuitamente e semanalmente nossos artigos, matérias e atualizações!

Nós respeitamos sua privacidade e |jamais| enviamos spam!

Send this to a friend